Recuperando nossos pedaços.

Uma bela manhã você acorda e pega um espelho para se observar, de repente um barulho repentino lhe assusta, e com isso você acaba deixando o espelho cair. Esqueça os sete anos de azar, o principal é limpar tudo para não se cortar depois. Nada que uma vassoura não resolva. Mas você sabe, há sempre o perigo de um pequeno caco escondido, de limpar a casa várias vezes, e num dia qualquer pisar num minúsculo pedaço de vidro. Eis que tal dia chega, e você pensa “de onde pode ter surgido isso?!”

Você se machucou por sua culpa? Certamente não há culpa alguma, foi um acidente. Embora possa pensar que deveria ter limpado direito, você tomou todo o cuidado, fez o seu melhor na ocasião. Tantas vezes pisamos em cacos alheios, mas lembre-se, “cada um recolhe seus pedaços do jeito que pode”. Ao longo da vida, várias experiências geram impactos que afetam nossa alma. Uma desilusão amorosa, um fracasso profissional, a perda de um ser querido, geram marcas tão profundas que partes nossas se desprendem e ficam presas naquelas memórias.

Quantas vezes alguém te magoou? Na verdade, quantas vezes você se magoou? Aquele famoso “jamais esquecerei”, fica registrado no subconsciente. Novamente o espelho se quebra, estilhaços que voltam a machucar. Só que ao invés de ir para debaixo do tapete, essas partes ficam em torno do seu campo vibracional. E quando você vive uma situação semelhante, aquele fragmento emerge do subconsciente, causando a mesma sensação de dor daquilo que lhe machucou. Ao contrário do espelho, que ao ser colado deixa de ser um espelho, virando apenas um mosaico, temos a capacidade de resgatar e reintegrar os pedaços de nossa alma.

É justamente o que é feito no RFA (Resgate de Fractais de Alma). As memórias permanecem lá, só que ao recuperarmos um fractal, aquele “caco” de alma para de causar problemas. A alma é sua, inteira por natureza, livre por opção… Quando esses fractais são recuperados, o vazio é preenchido, o encontro acontece: você com você e todos os seus “eus”. Juntou os pedaços? A cola para manter é vibrar em frequências como o amor, a alegria e a paz. Essa é a beleza de uma Alma Sustentável.

JP Paixão
Facilitador de RFA