O direito de viver em abundância.

Hoje você pode saber que dinheiro não compra felicidade, e que nem por isso precisa abdicar dele, que não precisa escolher entre ser próspero ou ser feliz. Aprendeu que estar saudável, ter uma boa relação familiar, viver bem a dois (ou sozinho), se realizar profissionalmente, conhecer mais sobre a vida e sobre si, tudo isso é prosperidade. E que dinheiro apenas representa uma energia de troca, um meio de possibilidades e facilidades, que não é bom ou ruim, depende do uso que fazemos dele. Apesar de tudo isso, você não se sente próspero?

Estabilizado financeiramente, miserável em termos afetivos, sem conseguir manter uma relação estável, com brigas constantes na família. Não evolui na sua profissão, não se realiza no que faz. Atinge um certo patamar da vida, equilibrada em todas as áreas, mas não consegue ir além disso. Por mais que faça e se esforce, em algum setor de sua vida a coisa não anda, ou então sente-se insatisfeito na sua vida como um todo.

Sabe aquela surpresa (nada agradável) ao aprender que tudo é muito caro, que tudo é difícil, que dinheiro não nasce em árvore, que precisa trabalhar a vida inteira para juntar um pouquinho, para depois, quem sabe, ser feliz? Ela continua registrada no seu subconsciente, junto com diversas outras memórias, soterradas lá no fundo, dizendo: “você não é capaz”, “você não merece”, “a felicidade não é deste mundo”. Lembranças conflituosas, e às vezes até traumáticas, que ficam registradas em nosso campo vibracional, ao longo de uma vida (e mesmo antes desta), que vem também como uma herança passada de geração em geração.

O RFA (Resgate de Fractais de Alma) limpa o seu campo dessas impressões, cortando os elos com suas partes que, inconscientemente, negam sua prosperidade. Liberando essas memórias daquela carga emotiva, toda aquela energia presa e estagnada pode ser direcionada melhor para seus objetivos. Ao soltar essas amarras, fica mais fácil ouvir, compreender e apoiar as escolhas de sua alma.

JP Paixão
Facilitador de RFA