Quebrando padrões repetitivos.

Dores pelo corpo que insistem em voltar. Trata, reabilita, previne, e o problema persiste. Depressão, síndrome do pânico e fobias, tratados por anos para estabilizar o quadro, e quando tudo se ajeita, de repente uma brusca recaída. Trabalha, trabalha, trabalha, cria, inventa, renova, e o negócio não anda. Começa uma coisa nova e não termina, vontade não falta, mas surgem inúmeros obstáculos.

Será que somos fadados ao fracasso? Muitos despertam para a inutilidade de viver apenas para cumprir metas, ser um cidadão exemplar e um profissional bem sucedido. Tudo isso tem muita importância, como um meio, e não um fim em si. E por mais que se abra mão do lado material, pense: como vai seu lado espiritual? Internamente tudo está no seu lugar? Encontrou a tão almejada paz interior? Desvendou o “quem sou/de onde eu vim/pra onde eu vou/o que faço aqui”?

O sucesso não é importante, e sim ser feliz… Ser feliz não é um grande sucesso? Comumente estamos felizes, são momentos passageiros, variando o prazo para cada um. Ser feliz é outra história… E nessa trágico-comédia, para ser feliz é preciso ser saudável (não apenas estar), no corpo, no peito, na mente e no espírito. Uma casa nova pode ser uma realização espiritual. Meditar pode serenar o coração. Amar e ser amado ajuda a amar o trabalho que se faz (ou ir de encontro a ele). Mas quando os obstáculos surgem, problemas se repetem, parece que o caminho se fecha, que a via para a felicidade está interditada.

O RFA (Resgate de Fractais de Alma) abre caminhos, portas e janelas. Só que o caminho se abre de dentro para fora, sem invadir ou forçar mudanças. É limpando os padrões que se repetem, consciente e inconscientemente, tirando a importância do que já passou. Se algo se repete em sua vida, não é questão de fracasso ou sucesso. Simplesmente, são registros que precisam ser deletados do seu subconsciente. Como ser feliz, se tem tanta coisa arquivada ocupando espaço?

JP Paixão
Facilitador de RFA